Topas

 

Dependência

dependencia-y-adiccion.gif

O tabaco provoca dependência, torna-se um vício, devido a uma substância presente na sua composição - a nicotina - que é altamente aditiva. Tal como a heroína e outras substâncias viciantes, o corpo e a mente dos seus consumidores tornam-se rapidamente habituados a ela, e a pessoa necessita dela para se sentir bem e normal.

 A dependência ocorre pela ausência de sensações positivas provocadas pela substância, mas também devido a sintomas desagradáveis que aparecem quando esta sai do organismo, como dores de cabeça, dores musculares, náuseas, mal estar geral, etc. Além desta dependência "física" existe também uma dependência "psicológica", muitas vezes a mais difícil de ultrapassar.

A nicotina é uma droga legal. É um estimulante (e não propriamente um “relaxante”) que, segundo os utilizadores, ajuda à concentração, alivia o tédio e suprime o apetite.

Quando se fuma pela primeira vez, é normal sentirem-se tonturas e uma sensação de enjoo. Porém, muita gente ultrapassa estes maus efeitos e torna-se dependente.

Os efeitos secundários da supressão da nicotina incluem impaciência, irritabilidade e depressão. O desejo de mais um cigarro pode ser irresistível. Fumar está associado a tosse, infecções nos pulmões, problemas de respiração, asma, úlceras e mau hálito. A longo prazo, fumar aumenta a possibilidade de desenvolver cancro do pulmão, garganta e boca, para além de poder provocar problemas cardíacos. Fumar pode ainda causar má circulação, o que leva, em casos extremos, a situações de amputação.

Isto pode parecer uma “terapia de choque”. Mas fumar é realmente mau. O tabaco é responsável pela morte de milhares de pessoas por ano.

Redução dos Riscos

Como a vitamina C é destruída pelo tabaco, os fumadores devem tomar doses extra de antioxidantes (vitaminas A, C e E), o que ajudar a prevenir certos tipos de cancro. Devem ainda comer muita fruta fresca e vegetais.

Pode-se tentar cortar o tabaco gradualmente ou impor algumas regras como, por exemplo, não fumar no trabalho ou não fumar antes de almoço, ou então deixar mesmo de fumar! Há muitas maneiras diferentes de o fazer, desde “a frio” (simplesmente largando), passando por pastilhas e pensos de nicotina. A nicotina ajuda a parar de fumar, enquanto reduz os sintomas da abstinência.

Se queres realmente deixar de fumar, tenta identificar as situações em que te apetece fumar: pode ser no café, numa farra ou depois de uma refeição. Estas situações podem ser as mais difíceis de ultrapassar. No entanto, mudar a tua rotina pode ajudar bastante.